quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Para alguém especial.

Postado por Rafaela Baracat às 11:52:00 PM
Hoje eu quero escrever para uma pessoa que não vai ler, nem ficar sabendo que um dia isso foi escrito pra ele. Eu quero falar algo diferente, algo que eu nunca falei antes sobre alguém que eu nunca esqueci. 

“Bruno, esse é o mês do seu aniversário, você vai fazer 20 anos, e talvez não tenha noção do que é isso, de que você se tornou um homem. Dia 24 você completa a idade que sempre sonhou, depois dos 18 anos, claro. Os 18 anos que infelizmente você também não entendeu quando chegou.
Há 2 anos atrás, em fevereiro de 2008 você me apareceu. Era o primeiro amigo virtual que eu estava tendo. Você chegou de mansinho, e com pouco tempo conquistou a minha amizade. Eu lembro até hoje como era.  Nós tínhamos tanta coisa em comum. Sonhos, vontades, religião, as bandas favoritas eram iguais, a mesma fé, a mesma visão. Você não era um amigo qualquer. Só você ligava a webcam e ficava me mostrando seu pé. Lembro até hoje de nós dois dançando ‘Love is a beautiful thing’ na cam, era a maior loucura, e nós dois nos divertíamos tanto. Você ia pro litoral no final de semana e eu sentia tanto sua falta, quando você voltava era a maior alegria. Parecia que os 2 dias sem conversarmos eram 2 semanas. Eu sempre te indicava bandas legais, e você me passava músicas emo, tipo ‘Relient-k’, Grey Skies Turn Blue era a sua favorita,  e eu nunca me esqueci disso. Assim como aquela: “não importam o que dizem de mim, pois eu sei, eu sei”. All Day do United. Você me chamava de Rafaelinha, eu te chamava de Bruninho. Você dizia que eu era caipira. Sempre fazíamos montagens em fotos um do outro, era nossa diversão. Você me ensinou que ficar com o status ‘ocupado’ no MSN permitia que os barulhinhos chatos do MSN e as janelas não irritassem. Eu chamava sua atenção e você nem ligava, até que me disse que o status ‘ocupado’ também não deixava a janela tremer. Até hoje eu deixo o status assim, como Ocupado, e isso porque um dia você me ensinou. Um dia descobrimos que poderíamos nos conhecer pessoalmente, pois sua avó mora na cidade ao lado da minha. Tínhamos tantos planos bobos pra quando nos víssemos.
6 meses se passaram... Julho chegou, e as férias também. Fui para São Paulo, pra perto de onde você mora. Você ficou feliz, lembra? É, eu também fiquei. Falei com você pela última vez dia 22 de julho. Você me perguntou se eu já estava na capital, eu disse que sim, e então você saiu do MSN.
Voltei para ADT e você sumiu! 15 dias sem entrar na net, sem me ligar ou dar sinal de vida. A falta que eu sentia de você não tinha explicação. Você não tem idéia de como era grande. Eu tinha criado outro Orkut, e tinha te mandado o convite. Até hoje o convite está lá.
Com mais de 1 mês sem você aparecer, e eu não sabia o que fazer, pedi à Deus pra me confortar. Afinal, eu estava sentindo algo estranho em relação à você. O que era pra ser conforto aconteceu de outro jeito. Eu fui dormir, mas não conseguia, bateu um desespero enorme. Eu chorava e pedia à Deus pra te trazer de volta, pra você viver de novo. Eu não entendi aquilo. Lembro que minha mãe ficou comigo no quarto naquela noite, e me deu um calmante pra eu conseguir dormir, mas aquela noite eu não dormi. Fui no seu Orkut e tinha vários recados do tipo ‘força, Bruno, você vai sair dessa!’. Nossa, pra meu desespero eu li todos os recados, pra tentar descobrir o que tinha acontecido com você.  A única maneira de realmente descobrir o que tinha acontecido era adicionar alguém do seu Orkut. Foi o que fiz. Sabia de uma mulher que você dizia ser sua segunda mãe. Perguntei a ela o que tinha acontecido com você, afinal, eram quase 2 meses sem você dar sinal. Ela me respondeu.
Bruno, você estava em coma todo esse tempo, e as chances de você sobreviver eram poucas, e se sobrevivesse nunca mais andaria, falaria, nem se lembraria de ninguém. Você caiu de skate, sofreu um traumatismo craniano que comprometeu sua vida. Durante 4 meses você ficou em coma. Adormecido enquanto sua família e amigos choravam por você. Eu aqui tão longe orava por você, pedia oração por você na igreja, você sempre estava presente nas minhas preces. Nada de você acordar. Até que um dia eu sonhei que você tinha saído do coma e tinha me mandado um recado no Orkut. Eu fiquei tão feliz nesse sonho, parecia tão real. Acordei e aquele sentimento de que aquilo tinha realmente acontecido era muito forte. Abri meu Orkut, e é, lá tinha um recado seu. Quatro meses depois. Foi dia 22 de Outubro de 2008.  Você tinha acordado, e se lembrado de mim. Seu pai me mandou o recado no Orkut dizendo isso.  A minha fé era tão grande! Eu não sabia o que responder e respondi sobre o sonho que eu havia tido. Seu pai me respondeu: “ Você está tão longe, mas eu sei que é amiga de verdade. Pois só os amigos verdadeiros e que Deus preparou para realmente ser amigo, sonha com o que você sonhou.”
Isso me trouxe esperança de volta!
Infelizmente, Bruno você nunca mais voltou. Sua vida ficou limitada. O traumatismo te deixou com muitas seqüelas, mas não as que te impedissem de andar, falar, lembrar das pessoas e fazer tantas outras coisas que fazia.
A minha dor era de ver aquele menino que amava surfar e andar de skate sentado em uma cadeira de rodas, e dependendo dos outros. Graças à Deus não foi assim por muito tempo. Você é um milagre segundo os médicos, e um exemplo pra mim. Tudo o que você é hoje é resultado do seu esforço, do que você fez pra voltar a andar, falar e fazer outras coisas. Coisas que aos olhos do homem eram impossíveis de acontecer, mas aos olhos de Deus não!
Faz 2 anos que espero você voltar, me chamar de caipira, dançar na webcam, contar seus sonhos. Ah, seus sonhos! Eu não me esqueço que você sonhava em ser médico. Eu me lembro de cada detalhe dos 6 meses da nossa amizade. Pouco tempo, né? Porém o suficiente pra eu nunca me esquecer de você.  E sabe o que me intriga mais? Esses 2 anos que se passaram e eu nunca me esqueci dessa amizade.
Ainda oro por você, te tenho no meu MSN, ouço a música que lembra nossas madrugadas na internet, o convite que te mandei do meu Orkut ainda está lá, lembro de tudo, de cada detalhe, lembro do milagre que você é!
Hoje você não deve se lembrar de mim, afinal, 2 anos se passaram, e com tudo isso que aconteceu acho difícil se lembrar. Mas eu sei que em algum lugar da sua memória eu ainda estou presente. Me lembro de TUDO, inclusive do quanto sua amizade foi importante pra mim. Eu te amo, meu amigo. Mesmo que você não se lembre de mim, pois eu nunca me esqueci de ti.”

Essa história é verídica. Meu amigo veio, mas de certa maneira também ‘se foi’. Com essa amizade eu aprendi que mesmo longe, amizade virtual pode ser amizade verdadeira. E que mesmo que nunca um abraço tenha sido dado, amizade virtual pode ser amizade real.

Dê valor pra cada pessoa, e para cada momento. Mesmo que longe grandes histórias podem ser construídas, e memórias jamais esquecidas.

Amigos de longe e amigos de perto... AMO VOCÊS!

Bruno, sempre vou te levar na memória. Pouco tempo como amigos, e apesar de triste, uma grande amizade. Te amo, e parabéns pelos seus sonhados 20 anos.

7 .:

LUCAS DUARTE disse...

Nossa. Quase eu choro aqui.Fiquei desesperado querendo saber o que ia acontecer.
Caraca, que triste.
Fiquei pensando em todos vocês meus amigos de internet..
bjs.

Dieter Alvarenga disse...

caramba.
é triste sim , mas por um lado me ensinou a dar mais valor aos amigos.
não sei se qs chorei pela história em si ou por ela ter me dado vontade de ter uma amizade verdadeira assim.

bj.

Gibitecalomania disse...

Muito bom!!!

Estou te seguindo, aguardo retribuição!

^^

http://gibitecalomania.blogspot.com/

Lucas Barreto disse...

porra, que lindo Baracat
lindo mesmo, não é uma história comum.
Gostei, gostei muito (:

Obrigado pelos comentários no blog,
Abraço.

Caroline Sampaio disse...

Nossa! adimito que criou lágrimas em meus olhos.
To te seguindo!
Se puder dá uma olhada no meu tbm.
bjo

Kleyton Saito disse...

Votti...
=/

Luana Silva disse...

O texto é triste mais é lindo, mas vcs ainda sao amigos?

 

A vida em versos. por Rafaela Baracat